Institucional

A Federação Catarinense de Boxe, designada pela sigla FECABOXE, fundada ao 1° dia do mês de outubro de 1996, filiada a Confederação Brasileira de Boxe é uma associação sem fins econômicos, de caráter desportivo, e constituída pelas Entidades de prática desportiva e Ligas que, na Estado de Santa Catarina, pratiquem o Boxe Amador.

Foi fundada por Adelir de Lima em São Bento do Sul, presidente que esteve no poder por 5 anos. Em 2001 assumiu a presidência o sr. Diogo Wolitz Ferreira, que transferiu a sede da federação para a capital, permanecendo no cargo por 12 anos. Já em 2012, após eleição realizada na sub sede em Balneário Camboriú, o sr. Adilson Souza assumiu o cargo de presidente cumprindo seu mandato de 4 anos passou o cargo para o atual presidente Wagner Farias e diretoria, mantem-se desde então.

 A FECABOXE tem por fim:

  1. Administrar, dirigir, controlar, difundir e incentivar no Estado de Santa Catarina a prática do Boxe em todos os níveis;
  2. Representar o Boxe no Estado de Santa Catarina junto aos poderes públicos, em caráter geral;
  3. Representar o Estado de Santa Catarina, em competições interestaduais, amistosas ou oficiais promovidas ou não pela Confederação Brasileira de Boxe;
  4. Promover a realização de competições interestaduais;
  5. Respeitar e fazer respeitar as regras, normas e regulamentos editadas pela CBBOXE;
  6. Regulamentar as inscrições dos praticantes do Boxe no Estado de Santa Catarina e as transferências de uma para outra de suas filiadas, fazendo cumprir as exigências da CBBOXE;
  7. Promover e fomentar a prática do Boxe de alto nível, estudantil, universitário e de cunho social;
  8. Promover o funcionamento de cursos técnicos de boxe;
  9. Promover a realização de campeonatos e torneios do desporto que dirige;
  10. Expedir às filiadas, com caráter de adoção obrigatória, qualquer ato necessário à organização, ao funcionamento e à disciplina das atividades do BOXE que promoverem ou participarem;
  11. Regulamentar as disposições legais baixadas a respeito dos atletas dispondo sobre, inscrições, registro, inclusive de contrato, transferências, remoções, reversões, cessões temporárias ou definitivas;
  12. Decidir sobre a promoção de competições interestaduais, estabelecendo diretrizes, critérios, condições e limites sem prejuízo de manter a privacidade de cada entidade de prática desportiva na condução de sua organização;
  13. Interceder perante os poderes públicos, em defesa dos direitos e interesses legítimos das pessoas jurídicas e físicas sujeitas à sua jurisdição;
  14. Praticar no exercício da direção estadual do Boxe todos os atos necessários à realização de seus fins.